Conheça os benefícios das ervas – parte 2

Boa noite leitores,

Muitas pessoas acreditam que adicionar ervas aromáticas nas preparações não fazem diferença à nossa saúde, mas estão muito enganadas, as propriedades nutricionais de cada uma delas são inúmeras e muito vantajosas, por isso vou escrever mais uma matéria sobre elas. Se você ainda não leu a matéria parte 1, clique aqui.

Na primeira matéria, falei um pouco sobre o alecrim, salsa, orégano, hortelã e o coentro, agora na parte 2 serão sobre as seguintes ervas:

Manjericão: uma das ervas mais ricas em cálcio (2x mais que o leite integral, por exemplo), tem ação diurética, analgésica, auxilia na redução dos níveis de colesterol ruim, triglicérides e glicemia. Uma opção de repelente natural e um potente anti-inflamatório.

Cebolinha: Fonte de fibras e vitamina K. Com efeitos antimicrobianos e antifúngicos, pode ser utilizada como ingrediente do dia a dia para aliviar a dor de queimaduras solares, além de potencializar a imunidade pela sua atividade antioxidante e anti-inflamatória.

Tomilho: Suas propriedades nutricionais vêm através dos componentes, timol e carvacrol, com efeitos antifúngicos e antibacterianos. Além de ser antioxidante, anti-inflamatório e digestivo.

Louro: Comprovada ação analgésica, anti-inflamatória e antioxidante, com melhora do metabolismo da glicose e também da gordura, podendo ser utilizada em chás, em pó como condimento ou mesmo utilizando a folha seca na hora do cozimento.

Sálvia: Popularmente utilizada para o tratamento de lesões gástricas (gastrite, úlcera, câncer) e para melhorar os sintomas da menopausa. Com potencial antioxidante, devido aos compostos carnosol e o ácido rosmarínico, é capaz de conservar naturalmente os alimentos.

O uso das ervas têm função de condimento, tempero e aromatizador natural dos alimentos, e além de melhorar o sabor das preparações e reduzir a utilização de sal, agrega valor nutricional. Importante lembrar que é melhor adicionar as ervas ao final das preparações, para manter todos os seus nutrientes, sendo elas frescas, secas ou em pó.

Espero que tenham gostado e aprendido mais!

Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – UNICAMP/ Machado FMVF, Barbalho SM, Silva THP, Rodrigues JS, Guiguer EL, Bueno PCS et al. Manjericão (O. basilicum L.) no perfil bioquímico de ratos. J Health Sci Inst. 2011/ MILITÃO, Fabíola de Lima; FURLAN, Marcos Roberto. Alimento funcional através do uso de Ocimum basilicum L. (Manjericão) como aromatizante e tempero. Faculdade Oswaldo Cruz/ SAKURA, Fernanda Naomi et al. Caracterização das propriedades funcionais das ervas
aromáticas utilizadas em um hospital especializado em cardiopneumologia. Universidade de São Paulo, 2016/ ROMAN JUNIOR, W.A. et al . Atividade antiulcerogênica do extrato aquoso de Salvia officinalis L. (Lamiaceae).Rev. bras. plantas med.,  Botucatu, 2015

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s