5 motivos para você consumir mais vitaminas e minerais

Boa noite leitores,

O aumento do consumo de alimentos industrializados, ricos em gordura, açúcar e sal contribuem para as deficiências nutricionais de vários micronutrientes, os quais não são levados a sério como deveria ser.  Você acha que é bem nutrido? Você conhece um pouco de cada nutriente? Você consome alimentos saudáveis quando já está doente ou como forma de prevenção e bem-estar?

A importância das vitaminas e dos minerais para a saúde é enorme, e vai muito além dos benefícios básicos geralmente comentados e divulgados por aí. Hoje, a maioria das pessoas estão preocupadas somente com a quantidade ingerida de carboidratos, proteínas e gorduras e esquecem dos micronutrientes (vitaminas e minerais).

Vou falar agora 5 motivos, dos vários que existem para sempre consumirmos vitaminas e minerais:

1- Os micronutrientes são cofatores das vias de obtenção de energia do organismo, assim como no metabolismo de ácidos graxos (gorduras) e de alguns aminoácidos (proteínas), ou seja, sem a participação deles essas vias não ocorrem. Exemplos de algumas vitaminas e alguns minerais: todas as vitaminas do complexo B (tiamina – B1, riboflavina – B2, niacina – B3, ácido pantotênico – B5, piridoxina – B6, biotina – B7, ácido fólico – B9, cobalamina – B12), cálcio, magnésio, entre outros.

2- Os micronutrientes auxiliam na perda de peso e de gordura corporal, pois sem nutriente o corpo não consegue queimar gordura, ele começa a queimar massa muscular, não basta só ingerir os macronutrientes (carboidrato, proteína e godura). Exemplo: o cálcio em conjunto com a vitamina D aumentam a ativação da lipólise (quebra de gordura corporal). Clique aqui para saber mais sobre o cálcio e a vitamina D.

3- Os micronutrientes têm papel importante na hipertrofia (ganho de massa muscular) e no desempenho durante os exercícios físicos, também. Exemplo: o cromo, além de ser responsável pela manutenção das funções da insulina, ele também estimula a síntese proteica, e assim o ganho de músculos. A deficiência de vitaminas do complexo B, magnésio e potássio causam fadiga e dores musculares, e queda de performance.

4- Os micronutrientes são fundamentais para o sistema imune (infecções, gripe, candidíase). Exemplo: Principalmente a vitamina C, vitamina E e o selênio estão relacionados com o potencial anti-inflamatório e assim a prevenção de vários sintomas e doenças.

5- Os micronutrientes também participam ativamente na regulação intestinal, a disbiose, ou seja, a desregulação do intestino, pode estar sendo causada pela falta e/ou má absorção de algumas vitaminas. Exemplo: micronutrientes como vitamina K, vitamina B12, tiamina e riboflavina participam durante a digestão, contribuindo com as bactérias colônicas.

Por estes 5 motivos e por outros vários, que a ingestão frequente de vitaminas e minerais é essencial. A ingestão deles por meio dos alimentos funcionais é o método mais indicado e mais saudável, mas claro que a suplementação está aí para nos auxiliar em casos específicos, por isso faça o seu acompanhamento com um nutricionista, não se auto suplemente.

Espero que tenham gostado e aprendido mais.

Até semana que vem!

Fonte: Souza AM, Barufaldi LA, Abreu GA, Giannini DT, Oliveira CL, Santos MM et al.
ERICA: ingestão de macro e micronutrientes em adolescentes brasileiros. Rev Saude Publica, 2016/ Damiane Bresciani Rinaldi, Anize Delfino von Frankenberg. Efeito do cálcio na perda de peso e na composição corporal: uma revisão de ensaios clínicos randomizados. RASBRAN – Revista da Associação Brasileira de Nutrição. São Paulo, SP, Ano 7, n. 2, p. 66-78, Jul-Dez. 2016/ Santos, Carolina Souza Lopes, et al. Práticas alimentares de um fisiculturista gaúcho. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo v. 3, n. 14, p. 123-131, Março-Abril, 2009/ Concise Monograph Series. Nutrição e Imunidade no homem, São Paulo, 2011/ Sakakeeny, L., Roubenoff, R., Obin, M., Fontes, J.D., Benjamin, E.J., Bujanover,Y., P.F., Selhub, J. Plasma Pyridoxal-5-Phosphate Is Inversely Associated with Systemic Markers of Inflammation in a Population of U.S. Adults. J. Nutr. 142: 1280–1285, 2012/ Almeida LB et al. Disbiose intestinal. Rev Bras Nutr Clin, 2009.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s