O poder dos nutrientes: zinco

Boa noite leitores,

É importante conhecer os nutrientes que são essenciais para nossa saúde, assim como suas fontes alimentares, e como podemos tratar seu excesso e sua deficiência. Hoje, vou falar um pouco do zinco, que é um mineral fundamental pro nosso organismo, mas que muita gente nem lembra que existe, você é uma dessas pessoas?

O zinco está presente na formação de mais de 300 enzimas necessárias para o crescimento e desenvolvimento do corpo humano, síntese de DNA, imunidade, funções neuro sensoriais e antioxidantes, sistema reprodutivo e cicatrização da pele. Com papel importante na imunidade, o consumo correto de zinco ajuda na prevenção de muitas doenças.

É importante falar como funciona sua biodisponibilidade, ou seja, a quantidade do nutriente ingerido que é aproveitada e absorvida pelo corpo, pois como todo nutriente existem fatores que ajudam e outros que atrapalham sua absorção. No caso do zinco, a quantidade de ácido fítico (fitato – fatores antinutricionais) presente nos alimentos interferem sua absorção, fique atento .

Além do estresse e infecções, o exercício intenso e prolongado, pode afetar a quantidade de zinco circulante no corpo, devido ao aumento de sua excreção pelo suor e urina. Estima-se que a deficiência de zinco acomete cerca de um terço da população mundial, podendo ser diagnosticada por algumas doenças de pele, diarreia, anorexia, retardo no crescimento e defeito no crescimento fetal, cicatrização lenta, intolerância à glicose, disfunções imunológicas com infecções recorrentes, hipogeusia (diminuição do paladar), desordens de comportamento (aprendizado e memória), etc.

Observe a tabela abaixo, com exemplos de fontes alimentares de zinco:

ALIMENTOS FONTES DE ZINCO

(porção de 100 g)

Alimentos

Zinco (mg)

Carne bovina (acém)

8,1

Pernil de porco

3,3

Leite desnatado

3,8

Feijão

3,9

Soja

4,5

Castanha de caju

4,9

Gergelim

4,2

Linhaça

4,4

Oleaginosas (castanhas) e leguminosas são consideradas fontes boas de zinco, além de frutos do mar, carnes vermelhas, leite e derivados. O zinco quando consumido a partir de alimentos, não apresenta efeitos tóxicos, à exceção de indivíduos que consomem alguns alimentos de origem marinha em grandes quantidades, não exagere. Em casos de ingestão excessiva, podem ocorrer sintomas como náuseas, vômitos, diarreia, febre e letargia, além de prejudicar a absorção de ferro e cobre.

Espero que tenham gostado e aprendido mais, FELIZ NATAL para cada um de vocês! Até semana que vem.

Fonte: Muller, Diane et al. Efeito da suplementação de zinco sobre o sistema imunológico. Biosaúde, Londrina, v. 18, n. 1, 2016/ CERES. Zinco, imunidade, nutrição e exercício. UERJ, Rio de Janeiro, 2006/ Pedraza DF, Sales MC. Deficiência de zinco. Nutrire, 2015/ MAFRA, Denise; COZZOLINO, Sílvia Maria Franciscato. Importância do zinco na nutrição humana. Rev. Nutr., Campinas, Mar. 2004/ Cozzolino, Silvia Maria Franciscato, Cominetti, Cristiane. Funções Plenamente Reconhecidas de Nutrientes – Zinco / ILSI Brasil (2009).

 

 

2 comentários em “O poder dos nutrientes: zinco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s