Saiba como evitar o efeito sanfona

Boa noite leitores,

Tenho certeza que muitos de vocês já ouviram falar, ou mesmo já sofreram com o “efeito sanfona“, não é verdade?! As consequências disso não são nem um pouco saudáveis para o nosso corpo, mas antes que isso aconteça com você ou torne a acontecer, você precisa saber como evitar, é sobre isso que vou falar hoje.

O efeito sanfona se caracteriza por um estado metabólico que predispõem o indivíduo a engordar rapidamente e tornam mais difíceis as tentativas de emagrecimento, tudo em curto prazo e isso torna o efeito sanfona um ciclo vicioso, um processo contínuo sobre emagrecer e ganhar peso. O efeito sanfona, como dito acima, é esse “vai e vem” de quilos, ou seja, a dificuldade de manter-se no seu peso estável, e na maioria das vezes ganhar mais peso do que antes, após um processo errado e ilusório de perda de peso.

O grande motivo disso acontecer são as dietas restritivas. Existem e não param de se criar muitos tipos delas por aí, atire a primeira pedra quem, em algum momento da vida, não já deixou de comer achando que estava fazendo bem ao corpo, o ajudando a emagrecer. Jejum intermitente, dieta low carb (com baixa quantidade de carboidrato), dieta do tipo sanguíneo, medicamentos, treinos em jejum, são só alguns exemplos dos tantos que vemos pessoas ainda fazendo e acreditando que isso é a salvação.

Com essas dietas, uma pessoa perde peso sim, mesmo na ausência de atividade física, mas sem preocupação com a qualidade dos alimentos ingeridos (nutrientes), o que perde-se é massa muscular e água, primeiramente, e não gordura. Isso causa a desaceleração do metabolismo (conjunto de reações bioquímicas que controla o funcionamento do organismo), pois a massa muscular é mais ativa que a gordura corporal. Assim, perder gordura fica cada vez mais difícil e ganhar, cada vez mais fácil.

O processo de efeito sanfona ainda pode causar doenças irreversíveis, um estudo mostrou que mesmo que um indivíduo tenha “emagrecido”, este período não é suficiente para “apagar” a esteatose hepática (“fígado gorduroso”) ou a resistência à insulina, por exemplo, adquiridas quando o mesmo estava acima do peso. Além disso, as dietas restritivas também levam a fadiga, perda de cabelo, dificuldade de concentração, nervosismo, falta de paciência, constipação, pele seca, unhas fracas, flacidez e tontura.

Quanto mais gradativo e equilibrado for o emagrecimento, mais fácil será para se manter; é preciso ter cautela na hora de estabelecer metas quando o assunto é emagrecer. O milagre do emagrecimento, que muitos estão em busca, não é comer menos mas melhor, com uma alimentação equilibrada e balanceada, prescrita por um nutricionista (de preferência).

Espero que tenham gostado e aprendido mais, até semana que vem!

Fonte: Barbosa-da-Silva S, JAC de Fraulob-Aquino, Lopes JR, CA de Mandarim-de-Lacerda, Aguila MB (2012) O Ciclismo de Peso Melhora as Respostas Inflamatórias do Tecido Adiposo em Camundongos Masculinos/ Barbosa-da-Silva, S., Silva, NC, Aguila, MB e Mandarim-de-Lacerda, CA (2014), danos no fígado e ciclagem de peso. Hepatol Res, 44: 450-459/ 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s