Alimentos Funcionais: Quinoa

Boa noite leitores,

Há anos a Quinoa foi descoberta e começou a ser utilizada na alimentação, hoje após estudos conclusivos pode-se afirmar que ela é classificada como um alimento funcional. Agora, vamos conhecer seus tantos benefícios que a fizeram ser chamada como tal.

A Quinoa é um pseudo cereal, também conhecida como pseudo oleaginosa, ou seja, podemos dizer que ela é um carboidrato com propriedades lipídicas. Seu uso está aumentando cada vez mais, sendo ela, utilizada tanto para a alimentação saudável como para dietas especiais de pessoas celíacas, uma vez que, diferentemente do trigo e da aveia, não possui glúten.

Além disso, é bastante utilizada por praticantes de atividade física e também vegetarianos/veganos, por conter 12% de proteína, com equilíbrio de aminoácidos. Ela também é considerada fonte de vitaminas do complexo B, quando comparada com aveia, arroz e milho. Possui quantidades significativas de flavonoides e ácidos fenólicos, sendo ótimos antioxidantes e assim benéfica à saúde, prevenindo doenças, como câncer, doenças cardiovasculares e obesidade.

Ela também apresenta minerais como fósforo, cálcio, magnésio, zinco, ferro e potássio, cerca de duas vezes mais do que outros cereais, além de possuir de quantidades significativas de gorduras boas, as quais são importantes anti-inflamatórios. Assim, sabendo da sua alta quantidade de proteínas e fibras e da boa digestibilidade de ambas no organismo, a Quinoa é considerada um alimento de alto valor biológico, e por isso atrai a atenção de indivíduos que buscam uma alimentação equilibrada. 

Como uma forma de melhorar a disponibilidade dos nutrientes da Quinoa, precisamos saber como minimizar os fatores antinutricionais, aqueles que podem provocar efeitos fisiológicos adversos (como desconfortos abdominais). Substâncias como saponinas, fitatos, taninos, oxalatos, são encontrados em maior concentração nas camadas externas do grão, sendo facilmente removidas por lavagens em água fria ou por tostamento (em forno convencional).

Sua comercialização é limitada devido ao alto custo pela importação, e também pela produção no Brasil ter começado há poucos anos, e ainda não ser suficiente para o abastecimento total. Por isso, seu valor de mercado ainda fica inacessível para muitos. Espero que com o passar dos próximos anos isso mude, e assim mais pessoas possam se beneficiar com a Quinoa e com os outros tantos alimentos funcionais não-convencionais.

Espero que tenham aprendido mais, até semana que vem!

Fonte: GEWEHR, M. F. et al. Análises químicas em flocos de quinoa: caracterização para a utilização em produtos alimentícios. Braz. J. Food Technol. Campinas, v. 15, n. 4, p. 280-287, out./dez. 2012/ QUINOA (CHENOPODIUM QUINOA WILLD. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, ano 8, nº 24, abr/jun 2010/ QUINOA: UM COMPLEMENTO PROTEICO VEGETAL PARA PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 6. n. 31. p. 44-49. Janeiro/Fevereiro. 2012. ISSN 1981-9927.

 

 

 

 

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s