Probióticos X Prebióticos

Boa noite leitores,

Há duas semanas falei um pouco de um alimento probiótico que está sendo muito usado, o Kefir, e também comentei com vocês que explicaria a diferença entre Probióticos e Prebióticos, que muitos se confundem ou que realmente não sabem no que se diferem, hoje vamos compreender.

De acordo com a Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, o trato gastrointestinal humano é organizado para que tenha um desempenho normal das funções fisiológicas, a menos que microrganismos prejudiciais o dominem. Para conseguirmos manter um equilíbrio apropriado da microbiota, devemos seguir uma alimentação adequada e algumas vezes com suplementação de probióticos e prebióticos.

Pela Organização Mundial da Saúde, a definição de probióticos,laticionios-e1393105125703 é que são microrganismos vivos, administrados em quantidades adequadas (e suplementadas para quem necessita), que conferem benefícios à saúde do ser humano,  resultando em um aumento da resistência contra agentes infecciosos.

São vários os efeitos benéficos atribuídos a eles, dentre os quais se destacam o efeito hipocolesterolêmico (ajudando a reduzir os níveis de colesterol ruim), anticarcinogênico, o auxílio no tratamento e na prevenção da diarreia e na melhora da digestão da lactose. Eles podem ser comercializados na forma de preparações farmacêuticas, em cápsulas/sachês, ou naturais, como leite fermentado ou iogurtes.

Além disso, outro estudo da Organização Mundial de Gastroenterologia documenta os efeitos positivos dos probióticos em uma série de transtornos gastrointestinais, incluindo a doença inflamatória intestinal, a síndrome do intestino irritável, infecções vaginais, e também ao sistema imunológico.

Em relação aos prebióticos, a ANVISA afirma que são fibras alimentares consumidas no intestino pelos probióticos que favorecem o seu crescimento e desenvolvimento no intestino. Entre as substâncias prebióticas, destacam-se a lactulose, o lactitol, o xilitol, a inulina e alguns oligossacarídeos não digeríveis. fibras

Eles modificam a composição da microbiota, de tal forma, que as bactérias com potencial de promoção de saúde tornam-se a maioria. Trazendo assim ao organismo benefícios como, aumento de absorção de cálcio, diminuição do risco de câncer de cólon, e também outros inúmeros efeitos que as fibras nos trazem. (Para saber mais sobre as fibras, clique aqui) Os prebióticos podem incluir cereais integrais, oleaginosas, frutas, hortaliças, leite e mel.

A quantidade tanto de probióticos quanto de prebióticos que deve ser ingerida por dia, precisa ser contabilizada individualmente, e verificada por um profissional da saúde se realmente sua suplementação é necessária e se irá trazer benefícios ao organismo do paciente.

 

Espero que tenham gostado da matéria.

Beijos!

 

 

 


4 comentários sobre “Probióticos X Prebióticos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s